O caminho de Damasco

Segunda feira, dia de São Pedro, no YouTube, uma transmissão sobre o lançamento da segunda rodada do Finapop, um inovador sistema de financiamento para a agricultura familiar, articulado pelo MST e o Eduardo Moreira. Já falei do assunto aqui no blog e fico feliz em ver que vai andando com firmeza.

Duas coisas importantes a ressaltar. A primeira, a visão correta da luta, trabalho e resultados do MST, sem dúvida o movimento social mais demonizado pela grande imprensa. As pessoas que só o conhecem pelo que falam as TVs e os jornais têm dele uma ideia completamente distorcida por uma campanha orquestrada de calúnias e difamações. E repetem bovinamente o que lhes é passado, sem ao menos procurar o outro lado da questão disponível a um clique. Se o fizessem, veriam a estupenda atuação do MST no apoio aos vulneráveis durante a pandemia, escamoteada pela mesma mídia que alardeia a doação de qualquer merreca por seus anunciantes.

A outra, os recursos financeiros para um segmento que não conta com nenhuma linha de crédito, as cooperativas da agricultura familiar. É de estarrecer que um instrumento tão eficaz para produzir riqueza sem gerar desigualdade, seja tão pouco difundido e valorizado no país. Na verdade é menosprezado e enfrenta todo tipo de dificuldade para existir. E essa iniciativa do Finapop resgata o potencial que o cooperativismo oferece.

O cooperativismo é o sistema que potencializa os recursos de uma sociedade em benefício de todos. Coloca lado a lado o econômico e o social, o individual e o coletivo, a produtividade e a sustentabilidade. Aliás, como é o correto. Só mesmo gente muito tosca insiste em opor uma coisa à outra. A cooperação é a base do progresso e bem estar, como vemos na história da humanidade, enquanto as guerras só trouxeram destruição, morte e miséria para a maioria, embora uns poucos ganhem com elas.

Quem acompanha a trajetória das cooperativas da agricultura familiar no nordeste sabe quantas barreiras são colocadas em seu caminho. Mesmo assim elas avançam. E sofisticam agora, montando operações financeiras para suprir uma lacuna que é coisa bem Brazil. (De um Brazil que abdica do futuro, dedicado a destruir o que fez no passado.) No entanto, ao alcance de qualquer pessoa interessada num mundo melhor. Tem muito a ver com outras estratégias já usadas, como Agricultura Sustentada pela Comunidade (CSA, na sigla em inglês), que viabilizou o primeiro grupo de agricultura orgânica, na Ibiapaba. Então, é sair do comodismo, deixar de só ficar nas redes sociais, respondendo argumentos rasos de liberais de fancaria e partir pra ação. A picada tá aberta, bora fazer uma estrada.

Fotos do post feitas pela Rosamaria em breve e rica estadia no Assentamento Cristina Alves, em Itapecuru, em 2016. Aí fica a COOPEVI, no radar da próxima rodada do Finapop. Sonho que se sonha junto pode virar realidade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s